"Você pode não gostar, não concordar e até se ofender com o conteúdo aqui escrito. Você pode se expressar livremente, pode argumentar e quiçá mudar a minha opinião, pois enquanto eu viver, não posso e não pretendo ser definitiva. O que você não pode é tentar me impedir de dizer o que penso. Porque, embora eu ache que estejamos muito perto da censura, ainda posso dizer o que eu penso e você ainda pode fechar a janelinha no seu computador."


quarta-feira, 31 de agosto de 2016

Eu não votei no Temer!



Como diz o título deste texto, eu não votei no Temer! Não votei no Temer, porque não votei na chapa da Dilma. Numa breve análise numérica das eleições de 2014, podemos perceber que a diferença entre a Dilma e o Aécio foi ínfima e que o PMDB foi fundamental na conquista do pódio. Se não o fosse, tal aliança nem seria concretizada. E esta aliança, não implica apenas num nome para dividir os cartazes com a Dilma, implica também numa divisão de funções e cargos dentro da administração do governo. Quantos ministérios o PMDB angariou? Se o argumento for que o PMDB é tão culpado quanto o PT e que deveria cair junto, eu concordarei sem um pio, mas o argumento utilizado de falácias como a ilegitimidade do Temer no poder, não merece sequer ser ponderado. Ora, dizer que o Temer não foi eleito, não só é uma cretinice, como uma idiotice sem precedentes. Farei um apelo à honestidade íntima de cada cidadão que emprega esta alegação: se o candidato que você julga o mais capaz para presidir a nação nas próximas eleições, seja ele quem for, tivesse o Jair Bolsonaro (entendo que alguém que tenha votado na chapa da Dilma tende a achar o Bolsonaro repugnante, mas se não for o caso, pense em um que assim o seja) como vice, você votaria nesta chapa? Não precisa me responder, é apenas para reflexão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário